Hiperpigmentação periorbital (HPO), também conhecida por sinônimos como melanose periorbital, olheiras ou hipercromia cutânea idiopática, é uma condição dermatológica frequentemente observada na clínica dermatológica. Manifesta-se na cor castanha a escura pigmentação sobre a área periorbital bilateral, que às vezes se estende mais para envolver a área malar, têmporas e região da sobrancelha.

Tem uma etiologia multifatorial que inclui tanto fatores endógenas e fatores exógenos. Pigmentação constitucional, afinamento do pele da pálpebra inferior com proeminência vascular, sombreamento devido à flacidez pele da pálpebra inferior, hiperpigmentação pós-inflamatória (PIH), compreende dos principais fatores responsáveis. Outros fatores incluem dermatite atópica ou dermatite de contato alérgica, anemia, estresse e hábitos inadequados.

 

Hiperpigmentação periorbita

A hiperpigmentação periorbital é muito comum, porém pouco estudada na saúde estética. Embora haja um amplo espectro de terapias disponíveis, sem resultados definitivos satisfatórios para o tratamento dessa. Modalidades de tratamento disponíveis incluem opções de tópicos e procedimentos. Opções de tratamento tópico incluem agentes despigmentantes que compreendem hidroquinona, tretinoína, combinações triplas, ácido kójico, arbutin, ácido azelaico, tópico vitamina C e filtros solares. A proteção solar é a parte fundamental da terapia. As opções de tratamento em consultório incluem peeling químico, lasers, blefaroplastia.

O ácido ferúlico é uma nova arma no arsenal terapêutico de peelings químicos. É um potente antioxidante fenólico encontrado de forma onipresente e em alta concentração nas plantas. Seu papel como despigmentante agente tem sido explorado devido à sua propriedade de inibir a tirosinase enzima que é uma enzima limitadora da taxa de produção de melanina na via melanogênica.Portanto, resultados promissores são esperados em distúrbios pigmentarescomo melasma e tipo constitucional de HPO onde a exposição ao sol contribui para o aumento do potencial melanogênico dos queratinócitos.

 

Objetivo

Tratamento de olheiras de origem melânicas

Pré-peeling home care

Não precisa de pré-peeling.

Uso em consultório

1 Passo

 

Higienização do local

Limpeza do local com água micelar de Quillaja. Remover sujidades e maquiagem de forma suave sem irritar o local. Produto de origem vegana natural.

 

Peeling de E-Ferulic C

Ativo Concentração
Ácido Ferúlico 12%
Ácido Ascórbico 10%
Alfa tocoferil 5%
Base anidra qsp

30gr

 

Modo de aplicação:

Aplicar na pálpebra fixa e móvel com auxílio de um cotonete e deixar agir por 6 horas. Remover com água corrente.

Realizar a cada 15 dias, ou a critério de cada profissional.

 

Uso Home care

Uso Noturno

Pós-Peeling tardio

Ác Ferúlico 2%, Ácido ascórbico 5%, Melavoid 0,5%, B-white 1%, Hydroxiprolisilane C 1%, Hyaxel 5%, Haloxyl 2% Serum qsp 20ml

Aplicar uma gota em cada local a noite espalhar de forma homogênea.

 

Frequência

A cada 15 dias.

 

Atenção:

Este é um material técnico-científico destinado à profissionais da área de saúde estética, não devendo ser utilizado para uso próprio ou pessoal, muito menos indicação sem a devida orientação de um profissional habilitado para tal. Outrossim, as formulações aqui presentes não configuram prescrição e nem indicação, mas sim sugestão de formulações e procedimentos ora extraídos de material científico ou da experiência prévia do autor e/ou de colaboradores, não configurando assim prescrição de produtos médicos.

 

Surabhi, D et all. Ferulic acid 12% peel: An innovative peel for constitutional type of periorbital melanosis—Comparing clinical efficacy and safety with 20% glycolic peel and 15% lactic peel. DOI: 10.1111/jocd.13292.
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta