Peeling

Peeling é um procedimento estético que utiliza agentes químicos, físicos ou enzimáticos aplicados na pele para tratar desordens cutâneas como o fotoenvelhecimento, manchas, rugas, sequelas de acne, estrias e cicatrizes.

 

ESCOLHA DO PEELING

O médico deve realizar um exame físico completo e dar particular atenção ao tipo de pele e grau de fotoenvelhecimento. O tipo de pele pode ser classificado usando-se tanto a classificação de fotoenvelhecimento Glogau quanto à de tipo cutâneo de Fitzpatrick. Na sequência, determina-se o tipo de peeling e sua profundidade de penetração histológica podendo optar por peelings químicos, físicos ou enzimáticos, utilizados isoladamente ou em associações.

 

Classificação Glogau do fotoenvelhecimento

Tipo I: Sem Rugas
Fotoenvelhecimento leve: alterações pigmentares suaves sem ceratoses e rugas mínimas.

Paciente: 20 ou 30 anos.

Pouca ou nenhuma maquiagem.

Tipo II: Rugas em Movimento
Fotoenvelhecimento leve a moderado: lentigos senis leves e visíveis, ceratoses palpáveis e não-visíveis, linhas paralelas do sorriso começando a aparecer lateralmente à boca.

Paciente: 30 ou 40 anos.

Geralmente usa alguma maquiagem.

Tipo III: Rugas de Repouso
Fotoenvelhecimento avançado: discromias evidentes, ceratoses visíveis e rugas mesmo sem movimentação.

Paciente: 50 anos ou mais.

Sempre usa maquiagem.

Tipo IV: Somente Rugas
Fotoenvelhecimento grave: cor da pele amarelo-acinzentada, lesões de pele pré-malignas com rugas em toda a pele, sem pele normal.

Paciente: 60 ou 70 anos.

A maquiagem não disfarça as rugas.

 

Classificação de Fitzpatrick da reação solar aos tipos cutâneos

Tipo de pele Cor Reação a 1ª exposição solar
I Branca Sempre queima e nunca bronzeia.
II Branca Geralmente queima e bronzeia com dificuldade.
III Branca Às vezes queima levemente e bronzeia comumente.
IV Marrom -média Raramente queima e bronzeia com facilidade.
V Marrom-escura* Muito raramente queima e bronzeia com muita facilidade.
VI Negra Nunca queima e bronzeia com muita facilidade.

*Indianos asiáticos, orientais, hispânicos ou descendentes claros africanos, por exemplo

 

Classificação dos peelings – Profundidade da penetração histológica dos agentes

 

Superficial Muito Leve Lesão no nível do estrato espinhoso
Superficial Leve Lesão de toda a epiderme
Médio Lesão no nível da derme reticular superficial
Profundo Lesão no nível da derme reticular média

 

Tabela de avaliação do paciente antes do peeling

Anamnese – Histórico do Paciente Possíveis complicações
Histórico de infecção pelo vírus do herpes simples Devem ser tratados profilaticamente para evitar surto de herpes.
Histórico de infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV) O estado de imunodeficiência atrasa a cicatrização e aumenta o risco de cicatrizes subseqüentes.
Tendência à formação de quelóide Formação de quelóide.
Histórico de radioterapia cutânea A destruição das unidades pilossebáceas retarda a cicatrização.
Uso de nicotina A diminuição do suprimento sanguíneo retarda a cicatrização.
Tratamento com isotretinoína oral Deve-se esperar 6 a 12 meses após o término do tratamento, pois há evidências de inibição da cicatrização.
História de lifting facial ou palpebral Deve-se esperar 6 a 12 meses antes de serem submetidos a peelings médios ou profundos, pois o suprimento sanguíneo está comprometido.

 

Particularidades

Paciente com “Pele Oleosa”

Necessitam um preparo adicional da pele com o objetivo de alcançar a profundidade de penetração dos agentes do peeling.

 

Paciente com “Dermatite seborréica e psoríase”

Pacientes com distúrbios inflamatórios subjacentes terão um aumento da absorção dos agentes do peeling podendo desenvolver uma síndrome de hipersensibilidade pós peeling químico.

 

TIPOS DE PEELING:

PEELING QUÍMICO

Métodos de resurfacing que através da indução de uma ferida na pele, promovem a substituição de parte ou de toda a epiderme e pode induzir a remodelação do colágeno, o que ajuda a melhorar o fotodano, rugas, anormalidades de pigmentação e cicatrizes.

 

PEELING FÍSICO

Método físico, também conhecido como “Peeling de Verão” que através de microdermoabrasão (com ou sem utilização de aparelhos), promovem a renovação celular apenas das camadas mais superficiais e, por esse motivo, são normalmente indicados para todos os tipos de peles.

 

PEELING ENZIMÁTICO

Também conhecido como “Peeling de verão”, promovem a esfoliação da pele através da ação de enzimas proteolíticas sobre as células do estrato córneo. A queratina é solubilizada e não há descamação.

 

PREPARO DA PELE

 

 10 a 20 dias antes do peeling

– Diminui a espessura do estrato córneo;

– Reduz a hiperpigmentação pós-inflamatória;

– Verifica a tolerância do paciente ao tratamento;

– Reduzir efeitos colaterais.

 

PÓS PEELING IMEDIATO

0 a 3 dias após o peeling

– Formulações com corticóides e fotoprotetores para evitar hiperpigmentação rebote.

 

PÓS PEELING TARDIO

4 a 10 dias após o peeling

– Fórmula com Hidratantes e agentes despigmentantes para manutenção da ação do peeling e preparo da pele para a próxima sessão. Uso do filtro solar diariamente.

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta