Visualizando o Post: Cysteamine: Um novo ativo contra o melasma resistente.

Cysteamine: Um novo ativo contra o melasma resistente.


Postado em 24/04/2019

Tags: melasma distúrbio de pigmentação estética da pele manchas manchas na pele melanogênese Cysteamine Beta-mercaptoetilamina L-Cisteína tirosinases estética acido


         O melasma é um distúrbio de pigmentação estética da pele, que acomete muitas pessoas mundo afora. Principalmente mulheres com fototipo de pele III e IV, tem dificuldade de eliminar as manchas com tratamentos tradicionais. A grande esperança dos Dermatologista pode estar em uma molécula simples, porém altamente efetiva: a Cysteamine.

         Cysteamine, também chamada de Beta-mercaptoetilamina, uma molécula que possui um grupo Tiol, devido a presença de uma molécula de enxofre ligado ao carbono etil. Essa molécula é naturalmente produzida pelo nosso organismo, e seu produto de degradação é o aminoácido L-Cisteína. Estudos anteriores em cultura de células melanocitárias, mostram que concentrações variadas de Cysteamine é capaz de inibir a melanogênese, diminuindo a formação do pigmento melanina.

         Cysteamina, apresenta uma notável capacidade de quelar metais. Alguns metais, como o cobre e o ferro, são essenciais para o bom funcionamento de enzimas que participam do processo de formação da melanina, consequentemente do melasma. Essas enzimas são chamadas de tirosinases, e catalisam a conversão do aminoácido L-Tirosina em melanina. A cysteamine, ao quelar (sequestrar) esses metais, diminui drasticamente a ação das tirosinases, e assim dificultando a formação da mancha, principalmente em melasmas resistentes.

         Um estudo realizado por Farshi, S. avaliou o efeito da cysteamine em creme por 4 meses em mulheres com melasmas resistentes a vários despigmentantes e o resultado foi de redução significativamente do score MASI do melasma, conforme imagem abaixo:

         O outro estudo, avaliou a ação da cysteamine em creme, em uma mulher de 38 anos, com melasma resistente que durava 6 anos, sem sucesso no tratamento. Depois de 4 meses de tratamento o melasma reduziu significativamente.

         Uma queixa frequente dos pacientes em tratamento com cysteamine, é o odor de enxofre, devido a molécula ser sulfurada, pode ser mascarada facilmente com uma fragrância de boa qualidade ou a adição de algum óleo essencial, como o de lavanda.

         Cysteamina é uma esperança no tratamento de melasmas resistentes com excelentes resultados com baixo efeitos adversos. Procure seu dermatologista para maiores informações.

 

Referência:

Farshi, Susan & Mansouri, Parvin & Kasraee, Behrooz. (2017). Efficacy of cysteamine cream in the treatment of epidermal melasma, evaluating by Dermacatch as a new measurement method: A randomized double blind placebo controlled study. Journal of Dermatological Treatment. 29. 1-28. 10.1080/09546634.2017.1351608.


Você gostou deste post? Então compartilhe no Facebook ou Twitter!


Faça seu comentário:





Confira também: